• Otimizando o HiFi
  • Quando a música é gravada, capturamos e armazenamos as oscilações das ondas sonoras em forma de uma onda elétrica. Isso é feito principalmente através da gravação analógica, que é uma representação física exata da forma de onda original. A amplitude ou força da tensão dessas gravações é então convertida em um valor binário representado como uma série de pulsos através de um processo chamado Modulação de Código de Pulso ou PCM. 


    Vários formatos de arquivo - MP3, FLAC, Masters - são representações digitais diferentes das mesmas ondas sonoras. 

     

    O que faz o TIDAL soar diferente?

    No TIDAL, nos distinguimos oferecendo aos nossos assinantes HiFi a renderização de qualidade de CD sem compressão de 16 bits/44kHz e uma seleção de Masters que varia de 16 a 24 bits/ 44.1, 88.2, 96, 192 até 352 kHz. Tudo correspondendo à profundidade de bits e à taxa de amostragem da fonte Master original, fornecendo o conteúdo o mais próximo possível da fonte. Sendo assim, esse é o áudio com a mais alta qualidade que se tem disponível para streaming. Os usuários do HiFi também podem desfrutar de novas experiências imersivas de áudio através das inclusões do 360 Reality Audio da Sony e do Dolby Atmos Music.

    Com a tecnologia incorporada ao app, o TIDAL realiza o trabalho inicial para oferecer as músicas que você ama com a mais alta qualidade possível. Em parceria com a MQA, a TIDAL tornou o conteúdo da Masters Quality acessível a todos os usuários do HiFi, sem a necessidade de equipamentos estéreo de última geração. No entanto, os entusiastas de áudio podem otimizar ainda mais a configuração para garantir uma reprodução perfeita em termos de bits. 

     O TIDAL HiFi conta com o uso de FLAC ou Free Lossless Audio Codec. Diferentemente da maioria dos formatos de áudio, o FLAC é livre de perdas e não compromete a qualidade por conta do espaço. A codificação do áudio feita via PCM garante que nenhuma informação seja perdida, permitindo uma decodificação idêntica de bit a bit. 

     Por exemplo, imagine a seguinte série de letras como uma representação de uma onda sonora gravada. O arquivo analógico é uma representação exata, enquanto o arquivo digital FLAC é compactado, mas transmite exatamente as mesmas informações. 

     

    Analógico → AAAAABBBAAABBBBAAAA   

     

    Digital - FLAC → 5A3B3A4B4A  

     

    Os arquivos MQA são compactados através de um processo conhecido como "Music Origami", a fim de tornar eles pequenos o suficiente para stream ou download. O TIDAL utiliza a tecnologia de compressão Core Decoder da MQA para obter o primeiro desdobramento e fornecer uma qualidade superior à do CD. Este primeiro desdobramento é capaz de uma saída de 88,2kHz ou 96kHz. 

    Os renderizadores MQA são hábeis para o segundo desdobramento. Os renderizadores podem vir na forma de produtos, como Conversores Analógicos Digitais ou fones de ouvido. Quando combinados com um decodificador principal, eles podem concluir o desdobramento final, permitindo que você ouça exatamente o que o artista criou e gravou com a mais alta qualidade de som possível. 

     

    Para garantir que você esteja aproveitando a nossa seleção HiFi ao máximo, convém otimizar suas configurações para obter uma reprodução perfeita. 


    Como otimizar minhas configurações?

    Primeiro, você deve ajustar suas configurações para garantir que esteja fazendo o stream com a qualidade mais alta possível. Você pode clicar nos artigos abaixo para saber mais sobre como ajustar as configurações de Qualidade do som no seu App TIDAL. 

    Celular
    Computador

    Para fornecer um aproveitamento de músicas de forma tão conveniente como fazemos hoje, convertemos gravações de analógico para digital. No entanto, como as ondas sonoras são produzidas em forma analógica, o sinal deve primeiro ser convertido de volta antes que um alto-falante possa reproduzir música. Isso é feito através de um conversor DAC ou Conversor Digital para Analógico. O DAC transforma um arquivo digital novamente em um sinal elétrico analógico com uma tensão em constante mudança que nossos alto-falantes e nossos ouvidos são capazes de processar como som. 

    Qualquer aparelho capaz de reproduzir áudio contém um DAC. No entanto, como na maioria das tecnologias, a qualidade do DAC pode fazer a diferença na qualidade do som. Depois de selecionar um DAC, você deve ler as instruções do produto selecionado para se conectar ao seu aparelhode reprodução. Depois de conectado ao programa de computador da TIDAL, convém ajustar as configurações de streaming da seguinte maneira:

    1. Clique no canto superior esquerdo
    2. Selecione "Configurações" e depois "Streaming"
    3. Altere a "Saída de Som" para o seu DAC
    4. Clique em "Mais configurações"
    5. Alterne configurações adicionais, pois elas pertencem às suas configurações. 

    O uso do Modo Exclusivo afeta apenas a reprodução HiFi e Master. Essa configuração concede ao TIDAL o uso exclusivo do aparelho de áudio, eliminando interferências. Com isso ativado, o TIDAL utiliza exclusivamente o seu DAC e altera automaticamente a frequência com base na seleção da música.

    O Force Volume permite que o TIDAL ignore suas configurações, permitindo que o usuário controle o volume do DAC ou do aparelho de estéreo conectado.

    O Passthrough MQA desativa a decodificação de software do MQA . Quando esta opção é selecionada, o TIDAL deixará o desdobramento para o seu DAC conectado. Isso só deve ser selecionado se você tiver um DAC compatível com a MQA.

Esse artigo foi útil?
Usuários que acharam isso útil: 114 de 131